Dicas de manutenção para economizar combustível

A Sonda Lambda é um componente do sistema de injeção eletrônica essencial para o veículo. Quando ela está em bom estado de conservação, evita o aumento do consumo de combustível, melhora o rendimento do motor, reduz os níveis de emissões de gases poluentes e prolonga a vida útil do catalisador.

Por estar localizada no tubo de escape e próxima ao motor, constantemente ela é exposta a condições mecânicas, térmicas e químicas desgastantes. A má qualidade do combustível é outro fator que determina o desgaste precoce do sensor. Por isso a Bosch recomenda que a inspeção preventiva da sonda seja realizada a cada 30 mil quilômetros.

O objetivo do teste da Sonda Lambda é assegurar o perfeito funcionamento do sistema, evitando o aumento do consumo de combustível. A falta ou deficiência do sinal gerado pelo sensor compromete o nível de emissões dos gases, assim como o funcionamento do motor.

A Sonda Lambda Universal é uma das novidades da empresa na Automec 2005. Com apenas sete modelos (contra 54 do programa de sondas convencionais disponíveis do mercado), este tipo de sensor tem a maior cobertura do mercado, é de fácil instalação e não exige ferramentas especiais.

Pioneira no desenvolvimento da Sonda Lambda, a Bosch está constantemente investindo no desenvolvimento de novas tecnologias. A empresa fornece o sensor e outros produtos para todas as montadoras, que cobrem cerca de 90% do mercado de reposição.

Fonte: www.automovel.com.br

Dicas para situações de alagamento

 

No verão, as possibilidades de alagamentos aumentam muito nas cidades. Não é possível evitá-los, mas você pode tomar alguns cuidados para minimizar prejuízos e aborrecimentos. Confira:

1 – Evite atravessar vias inundadas
Podem conter buracos ou outros obstáculos encobertos pela água. Além disso, há a possibilidade do veículo flutuar e ser arrastado pela enxurrada, o que coloca em risco a segurança do motorista e de seus passageiros;

2 – Nunca tente dar a partida no veículo se ele “morrer” dentro d’água
Neste caso, o motor pode aspirar água e ser danificado;

3 – Evite estacionar o veículo em locais com probabilidade de inundação
Se isso não for possível e o carro se encontrar alagado, não tente ligá-lo em hipótese alguma;

4 – No mais, é ter paciência até as águas baixarem, evitando riscos.

Fonte: www.motorclube.com.br

Dicas para pegar a estrada com segurança

Antes te viajar, é necessário observar alguns cuidados com seu carro e residência. Também enumeramos algumas dicas de segurança durante o trajeto.

Uma dica: imprima este artigo e vá marcando um ‘x’ nos itens, à medida que for verificando.

Faça um check-up geral em seu carro. Você não vai querer que ele te deixe na mão justamente numa hora dessas.

Check-up do seu carro:

( ) Verifique se os pneus não estão carecas ou com baixa pressão, pois isso provocará a instabilidade do veículo na chuva e principalmente a dificuldade na frenagem. Para sua segurança, faça o rodízio dos pneus.

( ) Um item essencial para fazer uma viagem segura é a parte elétrica. Certifique se todas as luzes (de freio, piscas, lanterna, farol e painel) estão em perfeito funcionamento.

( ) Os freios e a suspensão do carro devem estar em perfeito estado, pois são importantes para uma viagem segura.

( ) Encha o tanque do carro e não esqueça de verificar os níveis de óleo e água.

( ) Mantenha os documentos do carro e a sua carteira de habilitação sempre com você.

Com o carro em ordem agora está na hora de checar alguns cuidados com sua casa.
Check-up de sua residência:

( ) Comunique sua viagem a uma pessoa de confiança e telefone de vez em quando para saber se está tudo bem.

( ) Se sua ausência for prolongada, peça que um parente visite sua casa. A presença de pessoas inibe a ação de ladrões.

( ) Antes de viajar, peça para um vizinho recolher as correspondências e suspenda a entrega de jornais e revistas.

( ) Não deixe as luzes acessas, durante o dia elas são um indício de que não há ninguém.

( ) Lembre-se de trancar todas as portas e janelas. Se possível, reforce a porta da frente com fechaduras auxiliares.

( ) Verifique se não há nenhum vazamento na sua residência e nem telhas quebradas. Isto evita que você tenha surpresas desagradáveis ao voltar de sua viagem.

( ) Evite colocar o cadeado do lado de fora de casa, isso evidência que ela está vazia.

Com a sua casa protegida, você vai ficar muito mais tranqüilo para aproveitar a sua viagem, mas não esqueça dos seguinte cuidados na estrada:

1 – Use o cinto de segurança. Isto é importante tanto para quem viaja no banco da frente quanto para quem vai no banco de trás.O cinto ajuda na proteção dos passageiros em eventuais acidentes.

2 – No caso de algum problema mecânico ou elétrico, pneu furado ou acidente, remova o carro da pista, ligue o pisca-alerta e sinalize o local com o triângulo.

3 – Mantenha a distância do carro da frente e procure fazer com que os outros mantenham distância de você. Assim é possível evitar acidentes em caso de freadas bruscas.

4 – Bebês, mesmo os recém-nascidos, não devem viajar no colo de suas mães. Em caso de colisão, o risco da criança se machucar é muito grande.

5 – Não dirija com sono. Se perceber que não vai resistir, faça paradas regulares, descanse e depois siga viagem.

6 – Com chuva ou neblina, sua atenção deve ser redobrada. Dirija com cuidado e acenda os faróis baixos.

7 – Sempre que for necessário frear, acione o freio levemente utilizando sinais de mão para alertar o outro motorista antes de parar totalmente.

Você esperou ansiosamente por essa viagem, mas agora é hora de ter calma. Dirija com atenção e cuidado. É assim que começa uma viagem inesquecível. Boa viagem!!

Fonte: www.motorclube.com.br

Dicas de segurança para carros GNV

1- CUIDADOS COM A CONVERSÃO:
* Só converta seu carro em oficina homologada pelo Inmetro.
* Exija da convertedora, a nota fiscal e o Certificado de Homologação do Inmetro, para fazer o registro de conversão do Detran.
* Faça as revisões periódicas do kit e cilindro só em convertedoras homologadas pelo Inmetro.
* Não aceite peças usadas, cilindro recondicionado ou de procedência desconhecida e tubos de cobre. Na instalação, exija tubos de aço.

2- CUIDADOS COM O CILINDRO:
* Os cilindros devem ser sempre de aço especial, de alta resistência para GNV (NBR- 12790 ou ISSO 4705) e devem ser fixados com suportes adequados.
* Não permita, jamais, soldas nos cilindros, pois este ser um ponto sem resistência, com sérios riscos de ruptura e vazamento do combustível.

3- CUIDADOS NO ABASTECIMENTO:
* Ao abastecer, desligue o motor, o rádio e o telefone celular.
* Apague os faróis.
* Freie o seu veículo.
* Não fume.
* O motorista e os passageiros devem sair do carro.
* Exija que o veículo seja sempre aterrado.
* Certifique-se de que a mangueira de abastecimento de GNV foi desconectada antes de arrancar.

4- PRESSÃO DE ABASTECIMENTO:
* Não deve, nunca, ultrapassar 220 kgf/cm2
* O kit e cilindros são dimensionados para 220 kgf/cm2 de pressão máxima. Pressões acima desse limite podem causar vazamentos no sistema, diminuindo a vida útil do seu equipamento e correndo o risco de provocar acidentes.

5- CUIDADOS GERAIS
* Todos os serviços a serem feitos no kit e cilindros de gás natural deverão ser sempre feitos em oficinas homologada pelo Inmetro.
* Não tente você mesmo consertar os pequenos defeitos. Procure a convertedora.
* Não confunda Gás Natural Veicular (GNV) com o gás de cozinha (GLP). Jamais use o botijão de GLP no seu veículo.
* Seja um fiscal do Programa de GNV, denunciando os clandestinos para preservar a segurança de todos.
* Não rode com qualquer tipo de vazamento. Assim que notar algo suspeito, procure a assistência técnica.
* Não permita que curiosos mexam na regulagem do carro. Em caso de mau funcionamento, verifique se o filtro de ar, as velas ou qualquer outra parte da ignição estão sujos ou precisando de reposição.

Fonte: www.automovel.com.br

O que fazer ao bater o carro?

A primeira e mais importante providência é manter a calma. Conheça dicas importantes para enfrentar este aborrecimento.

1 – Não discuta, em hipótese alguma, com o dono do outro veículo – você pode ser alvo de violência em caso de descontrole emocional. Não é o bate-boca que vai decidir quem está “certo” ou “errado”. Se você tiver o veículo no seguro, o problema passa a ser da seguradora, que vai “brigar” na Justiça para o “culpado” cobrir os prejuízos.

2 – Antes de tudo, sinalize o local do acidente, para evitar atropelamentos ou novas colisões: coloque o triângulo de segurança em local distante e visível e acione a luz de advertência (pisca-alerta) para chamar a atenção dos demais motoristas.

3 – Já mais tranqüilo(a) e com a situação sob controle, anote nome e telefone do proprietário do outro carro, assim como a placa, ano, marca e modelo do veículo. Procure trocar cartões para se prevenir contra nome e telefone falsos e para a necessidade de uma posterior negociação. Marque também o nome da rua e o número do imóvel mais próximo ao acidente, prestando atenção à sua localização. Não se esqueça de que vai precisar de testemunhas.

4 – Não havendo vítimas, remova o carro do local da batida e coloque-o em lugar seguro, de modo que não atrapalhe o trânsito. Se o veículo tiver impossibilitado de rodar, ligue para 190 e peça o auxílio de um guincho. Caso haja algum ferido, ligue para o telefone 193 e acione o Corpo de Bombeiros, solicitando atendimento médico. Só preste atendimento de primeiros socorros às vítimas se você tiver conhecimento técnico para isso. Caso contrário, aguarde o Resgate.

5 – Os veículos devem ser mantidos em sua posição. Apenas sinalize devidamente o acidente, de modo a atrapalhar menos possível o trânsito local e aguarde a chegada da Polícia Militar, que irá determinar se é necessário ou não executar uma perícia no local. Desmarque eventuais compromissos e prepare-se para uma eventual espera de algumas longas horas.

6 – Se você tiver o veículo no seguro, acione imediatamente a companhia. A maioria delas tem serviços de atendimento para comunicação de sinistros, acionamento de advogados ou remoção de veículos. O número desse serviço está no cartão da seguradora, que deve ser levado sempre no porta-luvas do carro.

O boletim de ocorrência
O passo seguinte é fazer o Boletim de Ocorrência (B.O), que pode ser registrado nos postos do Comando de Policiamento de Trânsito (CPTran) espalhados pela cidade. Para saber o posto mais próximo, disque 190. Nos demais municípios e cidades brasileiras consulte as delegacias de polícia ou os órgãos de policiamento de trânsito vinculados à Polícia Militar.

Não existe um prazo determinado para se fazer o Boletim de Ocorrência. Também não é necessária a presença do dono do outro veículo para providenciar esse documento. Basta apenas apresentar os dados do local do acidente e dos veículos envolvidos no sinistro, além da sua carteira de habilitação e do Certificado de Registro e Licenciamento de seu veículo.

Para entrar com uma ação na justiça
Se o motorista responsável pelo acidente ainda se recusar a pagar a franquia, a parte prejudicada pode entrar com uma ação na Justiça. A queixa pode ser feita nos Fóruns Regionais (o que for mais próximo do local do acidente ou das residências dos proprietários) ou nos Juizados de Pequenas Causas.

Como a franquia envolve um valor relativamente baixo, entre R$ 600,00 e R$ 2.000,00 em média (para veículos importados esse patamar varia entre 4% e 6% do valor do carro), a questão pode ser encaminhada para um Juizado de Pequenas Causas, que tem a vantagem de ter um custo muito baixo e ainda oferecer a assessoria de advogados do Estado. Em ações de até R$ 4.000,00 não há necessidade do acompanhamento por advogados. Acima desse valor até o limite de R$ 8.000,00 é obrigatória a presença de advogado contratado ou do Estado. Não há cobrança de custas processuais.

Para entrar com uma ação desse tipo são exigidas as cópias dos documentos do carro, do Boletim de Ocorrência, da apólice do seguro e, ainda, do recibo de pagamento do conserto e da franquia do veículo emitido pela oficina. Se possível, anexe uma foto do local do acidente (para comprovar a existência de algum tipo de sinalização) e do veículo, destacando a área avariada. A “vítima” pode levar até três testemunhas – elas estão dispensadas em caso de colisão traseira, já que segundo a lei quem bate atrás é sempre culpado.

O processo funciona da seguinte maneira. A “vítima” faz uma petição inicial no Juizado e depois marca o dia do julgamento. Então, o “acusado” é requisitado para comparecer ao tribunal. O prazo previsto para a realização da primeira audiência de conciliação chega a ser de mais de um mês, para dar tempo ao “réu” de preparar a sua defesa. Caso não haja acordo na ocasião é marcada uma nova audiência.

Fonte: www.motorclube.com.br

Dicas que todos os motoristas deveriam saber

Aqui você encontra dicas importantes que todo motorista precisa conhecer

1) CHEIRO DE GASOLINA E BENZINA: COMO TIRAR
Se você ficou com cheiro de gasolina ou benzina nas mãos após um breve contato, não se preocupe. A dica para remover o odor destas substâncias é esfregar as mãos com sal grosso ou sal de cozinha umedecidos em água. Em seguida, os bons e velhos água e sabão.

2) CERA TAMBÉM TEM JEITO
Após passar cera para impermeabilizar a pintura de seu carro, o tradicional cheiro pode ser tirado passando-se óleo para móveis – um dos mais conhecidos é o de peroba. É tiro e queda.

3) OS ESTOFADOS DO CARRO: LIMPEZA E CONSERVAÇÃO
Seu lindo estofado de couro do carro manchou? Se a causa for gordura ou tinta, por exemplo, e a mancha é resistente, o jeito é levar para quem entende fazer o tingimento para que não sejam notadas eventuais diferenças. As manchas provocadas por arranhões podem ser suavizadas com o uso de uma cera na própria tonalidade do couro. No banco do carro, deve-se passar com muito cuidado, em pouca quantidade e deixar secar para não manchar a roupa de quem senta.

4) MANCHAS DE TINTA ESFEROGRÁFICA TÊM SOLUÇÃO
Quem tem crianças, principalmente em idade escolar, sabe o tormento que é ter os bancos atingidos por tinta esferográfica. As “poções mágicas” para resolver o problema são álcool e removedor de cutículas. É só passar com toda a delicadeza sobre a mancha.

5) MANCHAS DE GARAGEM: DICAS PARA REMOVÊ-LAS
Manchas “de garagem”: se o seu carro tiver alguma mancha provocada pela água de cimento que escorre em garagens, vai aí um macete: pegue um limão cortado e aplique o sumo na área afetada, esfregando o limão sobre a mancha até que esta desapareça. Depois, use polidor e cera para dar acabamento. Lembre-se: Sob o sol, o sumo do limão pode manchar a pintura do carro e provocar sérias queimaduras na pele. Portanto, cuidado!!! Faça isso sempre à sombra.

6) LANTERNAS TRASEIRAS DE NEBLINA PODEM ATRAPALHAR
Lanternas traseiras de neblina acesas, sem haver neblina atrapalham, provocando ofuscamento em quem vem atrás e ainda podem ser confundidas com luzes de freio. Fique atento para não deixar isso acontecer.

7) A ÚLTIMA BOMBADA É DESNECESSÁRIA
Aquela ?última acelerada” antes de desligar o motor não traz benefício algum nos dias de hoje. Na verdade, esse hábito era comum nos carros antigos com motor de dois tempos onde o óleo era misturado à gasolina para lubrificação do motor, esse procedimento existia para deixar as paredes dos cilindros com gasolina e óleo, para que na próxima partida o motor não girasse a ” seco”. Porém, com a chegada dos motores atuais de quatro tempos, tanto carburados como injetados, esse procedimento causa o efeito contrário. Ocorre que o combustível que é enviado para a câmara de combustão não vai ser queimado, já que a ignição vai ser desligada e o combustível não queimado vai “lavar” a parede do cilindro (retirando o óleo), fazendo com que na próxima partida o motor comece a funcionar sem lubrificação adequada, além de aumentar o consumo de combustível.

8) VOCÊ ESQUENTA O SEU CARRO A ÁLCOOL?
Saiba que nos motores atuais, mesmo nos carros modernos movidos a álcool, não há mais necessidade de “esquentá-lo” previamente. Basta você sair com o veículo de maneira “tranqüila”, sem forçar o motor, até que a temperatura esteja normal para que o câmbio e demais peças de transmissão e componentes de lubrificação, freios, etc., atinjam a temperatura ideal de funcionamento em conjunto com o motor.

9) PARADO, PROCURE NÃO DEIXAR A MÃO SOBRE A ALAVANCA DE CÂMBIO
Descansar a mão sobre a alavanca de câmbio provoca desgaste acentuado no sistema, deixando a alavanca folgada e imprecisa provocando aquelas “escapadas de marcha”. Utilize a alavanca apenas para trocar marchas.

10) O MOTOR DO CARRO “MORREU” DE REPENTE?
A primeira verificação a ser feita é no nível de combustível no tanque. Se realmente o ponteiro estiver lá em baixo, não fique tentando dar partida no carro sem gasolina repetidas vezes, porque se a bomba elétrica funcionar “seca” por muito tempo pode pifar.

11) VOCÊ COSTUMA “ARRANCAR” ASSIM QUE O SEMÁFORO ABRE?
Arrancadas bruscas não gastam apenas gasolina. Nestas arrancadas, coxins e câmbio são forçados e dependendo da arrancada podem até quebrar. Lembrando-se ainda, que as engrenagens e juntas homocinéticas sofrem bastante com esse procedimento. Guie de forma suave, é mais econômico e seguro.

12) DIRIJA DE FORMA ATENTA E EVITE TER DE FREAR BRUSCAMENTE
Evite frear de forma brusca. Além de gastar combustível, componentes do freio se aquecem demais causando mais desgaste das pastilhas, lonas, discos e tambores. Além é claro, dos pneus. Guie sempre com atenção.

13) CUIDADO COM OS LAVA-RÁPIDOS!
Fique atento quando lavar seu carro em postos ou lava-rápidos que utilizem desengraxantes na limpeza das rodas. Acontece que esses produtos contém formulas extra-fortes (muitas vezes, as mesmas utilizadas na limpeza de baús de alumínio de caminhões) e acabam removendo não só a sujeira como também o verniz e a pintura das rodas, causando grandes danos. O ideal é limpá-las com sabão neutro e água, ou no máximo, utilizar um detergente doméstico.

14) SABE O BARULHO IRRITANTE DA BORRACHA RANGENDO CONTRA O VIDRO?
Não se desespere. Muitas vezes este pequeno incômodo pode ser resolvido facilmente. Primeiramente, limpe o vidro e as borrachas da palheta com detergente neutro, pois podem estar engordurados. Se não resolver, dobre o limpador para o lado contrário ao que está rangendo para que a borracha da palheta “deite” por igual em ambos os lados, e tenha um contato uniforme com o vidro.

15) QUANDO ESTIVER PARADO NO FAROL, NÃO DEIXE O CARRO ENGATADO
Quando o semáforo está fechado, muita gente acaba mantendo o carro engatado e, conseqüentemente, o pedal de embreagem acionado. Este hábito provoca desgaste acentuado no sistema, deixando desgastado prematuramente o conjunto de embreagem. Portanto, desengate o carro, puxe o freio de mão e aproveite para relaxar um pouco!

DICAS – Economia de combustível

Na partida, não se deve aquecer o motor com o carro parado. É melhor começar a andar devagar, ir acelerando progressivamente sem exigir grande potência do motor nos primeiros metros.

No transito, mantenha-se o máximo possível nas marchas mais altas sem no entanto forçar o motor e deixa-lo dar trancos. Ande em velocidade regular, sem grandes freiadas ou acelerações repentinas (que consomem muito combustível).

Velocidade, o consumo aumenta muito em velocidades altas, em alguns motores entre 100 e 130 o consumo aumenta 25%.

Estacionando, nunca acelere antes de desligar a ignição.

Gasolina, utilizar sempre gasolina sem chumbo.

Evitar Cargas e colocar bagagens sobre o teto, se for a única solução, equilibre a carga para que seja a menos volumosa possível. Não esquecer cargas inúteis dentro do veiculo (evite o aumento de peso desnecessário).

Mecânica, é fundamental verificar pelo menos uma vez por ano os elementos essenciais, afinação do motor, troca de filtros (um filtro sujo diminui o rendimento do motor), etc.

Se o motor tiver velas que já não funcionam bem, desregulagem no sistema de injeção de combustível ou mau funcionamento na exaustão de gases, você estará jogando fora 15% ou mais de seu combustível.

Se os pneus estiverem abaixo de sua calibragem recomendada pelo fabricante, eles trarão mais resistência para rodar e você estará perdendo (alem dos pneus) 5% do combustível.

Se as rodas estiverem fora de alinhamento, você estará perdendo (alem dos pneus) pelo menos 2% do combustível.

Obs . arrancadas fortes e grandes freadas: fazer um esforço desnecessário para chegar a uma velocidade que não será aproveitada exigindo logo a seguir outro esforço ainda maior de freiada, é o mais puro desperdício de combustível.

Pneus

Para conseguir uma boa performance dos pneus é necessário observar frequentemente (pelo menos uma vez ao mês) e sistematicamente antes de longas viagens sem esquecer o pneu reserva, se a calibragem
esta correta. Estas verificações devem ser feitas com os pneus frios porque a pressão aumenta com a rodagem.
Fazer o rodízio dos pneus a cada 10.000Km.

Desgastado nas bordas – pode ser causado por falta de pressão. A calibragem esta abaixo da pressão recomendada pelo fabricante ou desalinhamento.
Solução: Calibragem correta.

Desgastado no centro – geralmente indica que o pneu esta super cheio. A calibragem esta acima da recomendada pelo fabricante. As vezes as pessoas desconfiam que um pneu esta vazando um pouquinho e para compensar aumentam a calibragem, o que é muito ruim.
Solução: Calibragem correta

Vibrações (chime) que são sentidas no volante acima de uma determinada velocidade. Isto é muito perigoso e acontece por falta de balanceamento ou outro problema que leva a roda a trabalhar de maneira desigual. Além de acabar deformando definitivamente os pneus, leva a perda de controle do veiculo e outros prejuízos na suspensão.
Solução: balanceamento e exame dos componentes da roda.

Prevenção, uma vez que um desgaste se faz maior em qualquer ponto do pneu, ele ficara para sempre caso o desbalanceamento não for na roda. Um pneu novo não adiantará, pois o defeito não foi consertado, ele também se estragará.

Observe cuidadosamente seus pneus a parte de fora e do interior da roda, para verificar algum desgaste circular maior na banda de rodagem de um lado ou do outro.
Solução: Vá a um mecânico ver se a cambagem esta correta (o angulo de inclinação das rodas).

Se for fazer a rotação dos pneus e quiser incluir o estepe (se o estepe for um pneu igual aos outros quatro).
O estepe deverá ser colocado na posição : Roda Traseira Direita.

Bateria

Se você vai deixar seu carro parado por mais de um mês é aconselhável desligar os dois cabos da bateria.

Não desligar os terminais com o motor funcionando.
Não recarregar a bateria sem desligar os terminais.
Carregar a bateria com um carregador:

Respeite as instruções do fabricante de carregador de baterias.
Desligar a bateria começando pelo terminal (-).

Ao voltar a ligar começar pelo terminal (+).
Verificar que os terminais da bateria e as respectivas braçadeiras estão limpos. Se estiverem com uma massa branca ou esverdeada, é importante limpa-los.

A alimentação elétrica permanente é necessária para abastecer os sistemas eletronicos. Depois de ter desligado e re-ligado a bateria, ligue a chave e espere 15/20 segundos antes de virar o motor de arranque.

Fazer uma “chupeta”, colocar o motor para funcionar partindo de uma bateria auxiliar :
– ligar o cabo vermelho aos terminais (+) das duas baterias.
– ligar uma das extremidades do outro cabo (preto) ao terminal (-) da bateria auxiliar.
– ligar a outra extremidade do cabo a um ponto da massa do veiculo avariado o mais longe possível da bateria.
– ligar a outra extremidade do cabo a um ponto da massa do veiculo avariado o mais longe possível da bateria.

– acionar o motor e deixar trabalhar , espere voltar a marcha lenta e desligue os cabos.

Fonte: Peugeot

Lavagem

Importante:
Eliminar o mais rapidamente possível excrementos de aves, insetos, manchas de piche, e de gordura pois tudo isto contem substancias que provocam grandes danos à pintura.

O que não se deve fazer
– limpar a carroceria a seco.
– usar gasolina, querosene ou tira manchas para tecidos na limpeza da pintura, assim como nas peças de plástico.
– raspar as manchas de piche,insetos mortos ou outra sujeira que tenha aderido à pintura.
– lavar a carroceria quente ou ao sol .
– limpar os faróis com panos secos ou abrasivos ou com produtos detergentes ou solventes.- deixar acumular sujeira na carroceria.
– andar frequentemente na lama sem lavar as partes de baixo do veiculo e o interior dos para-lamas.
– as peças em plástico não deverão ser polidas.
– usar produtos que contenham silicones.

Corrosão

É muito comum que o lavador de carros principalmente durante a noite não trabalhe da maneira correta, inclusive para poder fazer mais em menos tempo. Se você manda lavar seu carro todas as noites, precisa se certificar de alguns detalhes para não vir a ter um enorme prejuízo no final de alguns meses:

A lavagem é feita com mangueira ou balde ?
Prefira que seja feita com balde pois as mangueiras forçam a entrada de água nas menores reentrâncias da carroceria.

Com ou sem sabão/detergente (que sabão) ?
Não deixe usar sabão mais de uma vez por semana, obrigue o uso de agua limpa e pano macio.

Depois de lavado, o veiculo é seco com pano ou deixado para secar sozinho?
Se não for seco todas as noites, você terá um veiculo todo enferrujado em alguns meses.
Para ter a certeza é necessário prestar atenção em outros carros que também são lavados pelo mesmo lavador, repare se foram secos ou se contem gotas de água por toda a carroceria. Apareça na garagem durante o serviço dele. Lavar um carro todos os dias e não secar é o mesmo que deixa-lo na chuva intermitente por meses.

Limpeza Interna

– Tecido (bancos e assentos), utilizar água com sabão liquido. Para retirar pelos de animais e pequenas sujeiras, use um aspirador ou uma fita plástica enrolada na mão, com a cola virada para fora e pressione sobre o lugar a ser limpo, a sujeira vai colar na fita.

– Plásticos (painel de bordo, guarnições das portas e tecidos do teto) utilizar agua adicionada com sabão liquido ou excepcionalmente, álcool desnaturado (depois de ter feito um teste numa área não visível).

– Deve evitar-se o mais possível o uso de detergentes que contenham solventes.

– Deve-se limpar sempre várias vezes com um pano macio limpo e evitando molhar demais.

– Manchas no estofamento, veja na pagina Manchas.

Enceramento

O uso regular de cera, adicionada á agua de lavagem ou aplicada em separado, é recomendado. Protege as partes superiores da pintura contra agressões externas como maresia, chuva, raios solares, etc.

O veiculo deve estar na sombra, frio, limpo e seco.
Aplicar a cera suavemente e em movimentos circulares usando um pano macio e limpo, levemente umedecido.
Deixar secar por alguns minutos e dar brilho com uma flanela ou outro pano seco e macio. Mudando sempre a face do pano para ter sempre um pedaço limpo em contato com a pintura.

Respeitar as normas estabelecidas pelo fabricante da cera.

POLIMENTO

O polimento da pintura só deve ser feito quando esta já estiver embaçada e o uso de um produto de enceramento deixou de ser suficiente para dar o brilho desejado. No caso de aplicação usar apenas produtos levemente abrasivos.Polimento

SAIBA MAIS…
* Antes de sair, verifique as condições do carro. Uma boa revisão garante maior segurança para o motorista e ocupantes do veículo. Observe os documentos, extintor ( se não está vencido), triangulo, buzina, freios, faróis, pisca-pisca, luzes de placa e posição, combustível, nível do óleo, água do radiador e bateria e ajuste os cintos de segurança.Você pode se livrar de pesadas multas, perder pontos, transtornos e riscos de acidentes.

* Quem dirige não pode fumar ou usar o celular porque é proibido dirigir com uma só mão.

* Não ultrapasse a velocidade máxima permitida e sempre circule pela direita da via, deixando a faixa esquerda para ultrapassagem.

* Em situações de chuva, neblina e cerração, redobre sua atenção!

* Verifique sempre, antes de sair, se os passageiros estão usando o cinto de segurança.

* O uso de cinto de segurança é obrigatório não só nas estradas, mas, também dentro da cidade e para todos os ocupantes do veículo.

* Não viaje a noite com os vidros de seu veículo totalmente fechados.

* Nunca dirija cansado, com sono e muito menos depois de beber.

* Respeite o ciclista e o motociclista. Lembre-se que o veículo menaor sempre tem a preferência.

* Tenha cuidado com as armadilhas de assaltantes. Se observar algo estranho nas rodovias como pessoas mal intencionadas, avise ao primeiro posto policial que avistar.

* O carro bateu? Capotou? O seguro declarou que a perda foi total? O carro não pode ser mais consertado e não poderá ter o chassi reaproveitado.

* Não deixe viajar em seu veículo mais pessoas que o que consta no documento.

* Mantenha distância segura do veículo que vai a sua frente, evitando freadas bruscas. Pare gradativamente.

* Seja rígido com seus ocupantes. Não deixe jogar pelas janelas latas de bebidas, garrafas, papeis e lixo.

* Somente a via original da Carteira Nacional de Habilitação e da permissão para dirigir é que terão validade para a condução do veículo.Quem tem o hábito de carregar cópias autenticadas deve abandonar este costume.

* Não dirija embriagado. Além de causar acidentes, você obterá uma infração gravissima, estando sujeito a multas e pena de detenção de seis meses a três anos

* Fique atento a conservação de seu carro. Dirigir veículo em mau estado de conservação dá multa e perde pontos.

* Nunca dirija com o braço de fora.

* Em situações de congestionamento e de trânsito lento, seja paciente!

* Fazer transporte remunerado de pessoas ou realizar carretos, quando não estiver licenciado para este fim, é proibido.

* Qualquer alteração nas características do carro só poderá ser feita com autorização do Detran.

* Começou chover? Ligue o limpador de pára-brisa. É obrigatório.Não atender a esta obrigatoriedade pode dar problemas.

* Não dirija com calçado que não se firme nos pés.Ex: sandália.

* Na faixa, de sempre preferência ao pedestre. Tenha cuidado especial com crianças, pessoas idosas e portadores de necessidades especiais, pois muitas vezes eles não estão em condições de avaliar e superar os perigos no trânsito.

* Observe, pelo seu documento, se o exame de saúde não está vencido.

* As velocidades aumentaram, mas é preciso prestar muita atenção. Se tiver uma placa, fica valendo a velocidade que a mesma indicar.

Fonte: www.automovel.com.br

Trânsito: basta!

Todas as manhãs quando chego à Delegacia Seccional, examino os Boletins de Ocorrências ( BO s) confeccionados pela Equipe do Plantão Permanente.
Inúmeras ocorrências são registradas, noticiando crimes dos mais variados tipos, lesões corporais, ameaça, furtos, estelionatos, porte de entorpecentes,  acidentes de trânsito (lesão corporal culposa, crime capitulado no art. 303 do Código de Trânsito), etc.
Estamos preocupados com o acréscimo de tais ocorrências – acidentes de trânsito.
Freqüentemente os veículos de comunicação de nossa cidade noticiam acidentes de trânsito, resultando em mortes, lesões graves e permanentes. Basta, é necessário uma conscientização coletiva para melhorarmos o quadro ruim que estamos assistindo.
Campanhas educativas foram deflagradas pelas Policias Civil e Militar, Prefeitura, Conseg e outras Instituições, como na recente Semana Nacional do Trânsito, com pedágios, distribuição de cartilhas e palestras. A Polícia Militar intensifica seu trabalho com operações nas vias públicas. A Polícia Civil instaura inquéritos e responsabiliza criminalmente os incautos motoristas, ambas vem cumprindo seu papel constitucional de manter a ordem pública no trânsito, além de participarem efetivamente de campanhas educativas, com o objetivo de orientar, antes de punir.
Conclamo as Instituições de nossa cidade, como por exemplo, Rotarys, Lions, Maçonaria, GEADE, comunidade escolar, Igrejas, Auto Escolas, CFCs, Câmara de Vereadores, e sobretudo, as famílias a repensarem o trânsito de nossa cidade. Urge uma mudança na forma de dirigir.
Dirigir como cidadão, de forma ética, respeitando as leis de trânsito e com espírito humanitário. Reza o artigo 76 do C.T.B.: “ A Educação para o trânsito será promovida na pré-escola e nas escolas de 1 º, 2º e 3º graus, por meio de planejamento e ações coordenadas entre os órgãos e entidades do Sistema Nacional de Trânsito e de Educação, da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, nas respectivas áreas de atuação” . O parágrafo Único, inciso I, diz: a adoção, em todos os níveis de ensino, de um currículo interdisciplinar com conteúdo programático sobre segurança de trânsito”.
A questão é esta. Nenhuma instituição escolar, apesar de previsão legal, promove em sua grade curricular a disciplina “ educação para o trânsito” da pré-escola até a Universidade, conforme preceitua a lei vigente. Lins a “ cidade das escolas ” poderia ser a pioneira e promover nas suas escolas, públicas e particulares a disciplina “ Educação para o Trânsito”.

Basta de violência no trânsito. Chega de mortes estúpidas, cenas e conseqüências trágicas.

Dr. Orildo Nogueira, Delegado Seccional Assistente da Delegacia
Seccional de Lins
Coordenador do Site
www.comseguranca.com.br

Motociclista, você e a moto: uma união feliz

O tema escolhido para a Campanha Nacional do Trânsito (18 a 25 de setembro) foi Motociclistas: Você e a moto uma união feliz.
A cidade de Lins através da Prefeitura, Polícia Civil – CIRETRAN, Polícia Militar e outras instituições a exemplo de outras comunidades promoverá uma campanha educativa, como pedágios, artigos e distribuição de cartilhas aos munícipes.
Como motociclista (embora “fora de forma”, pois vendi minha Honda CB há algum tempo), resolvi escrever um artigo sobre como viajar com segurança com sua moto.
Escolhendo o trajeto: Defina o trajeto de sua viagem, não pela menor distância, mas pela estrada mais segura. Mesmo que a rota seja mais longa opte por rodovias duplicadas, com apoio ao usuário e com um bom guia nas mãos. Quando necessário consulte a polícia militar rodoviária e as condições do tempo em sites especializados.
Escolha os lugares para possíveis paradas. Atender a autonomia das motos e a capacidade física das pessoas (tanto o garupa como a sua e dos demais companheiros de viagem). Pare a cada hora ou hora e meia. Andar a noite só em situações especialíssimas.
As motos: Recomendações de praxe, calibragem dos pneus, verificação das luzes, sistema elétrico, óleo do carter e do freio, ou seja uma pequena revisão antes do passeio. É muito importante que o motociclista conheça sua moto e tenha noções básicas de mecânica e elétrica. Você conhecendo a sua moto, saberá a capacidade de carga da mesma. É comum as namoradas, esposas comprarem coisas impossíveis de serem carregadas nas motos, seja pelo tamanho ou peso.
Motociclistas observem também:
O capacete além de resistente tem que ser exato para sua cabeça, pois grande pode escapar e pequeno causará desconforto.
Para os dias de frio é necessário um protetor para a cabeça e pescoço. As luvas embora um pouco desconfortáveis, dão uma proteção interessante para os dedos e as mãos.
Embora alguns acreditem que as melhores roupas (blusas e calças) sejam de couro, existem roupas especiais para motoqueiros.
As botas de cano médio ou longo são as ideais porque protegem o tornozelo e as pernas. Assim como a jaqueta e a calça as botas devem ser impermeáveis.
O peso da bagagem deve ser compatível com a sua moto e que ele deverá ser distribuído igualmente entre as bolsas.
Boa viagem!


Orildo Nogueira
Delegado de Polícia e coordenador do site www.comseguranca.com.br

MOTOCICLETAS – TURMA DO BATATA

Em 2003, numa festa de casamento, juntamos alguns amigos e resolvemos fazer um passeio de moto no dia seguinte pela manhã. Nascia aí, a “TURMA DO BATATA”. Devo esclarecer que Batata é meu apelido.
O que aconteceu a partir daí foram passeios pelo Brasil e pelas Américas: Tiradentes, Serra Negra, Brotas, São Paulo, etc,no Brasil, além de Chile, Argentina, Uruguai e Estados Unidos (Rota 66).
Foi legal constatar que a quase totalidade dos meus amigos tinham moto e que na verdade faltava uma liderança para que formássemos um grupo com uma idéia comum, MOTOCICLETA.
A grande sacada da Turma foi incluirmos em todos nossos passeios ou encontros, nossas esposas ou namoradas. As que ainda tinham alguma restrição às motocicletas, hoje são nossas maiores incentivadoras.
Este pequeno relato para dizer que somos: amigos, casais, com famílias, filhos, netos e que portanto temos que nos preocupar muito com a segurança.

Antes de iniciarmos nossas viagens, temos reuniões para discutirmos aspectos de segurança tais como: nossa segurança, segurança das motos e das estradas que iremos percorrer. E é sobre isto que falaremos a partir de agora.

Para que possamos ilustrar, usaremos a viagem efetuada entre São José do Rio Preto, São Paulo, minha cidade e Tiradentes em Minas Gerais.

TRAJETO:
Ao definirmos o trajeto da viagem nem sempre vamos pela menor distância, mas pela estrada mais segura. Para Tiradentes, poderíamos escolher entre os trajetos: São José do Rio Preto, Olímpia, Barretos, Franca, Lavras e Tiradentes, com aproximadamente 702km e São José do Rio Preto, Araraquara, Campinas, Itapeva, Cambuí, Lavras e Tiradentes, com 828km. A rota escolhida foi a mais longa porque teríamos somente pista dupla.
Definido o trajeto, escolhemos os lugares para possíveis paradas. Para tanto temos que atender a autonomia das motos e o capacidade física do pessoal. Sempre escolhemos parar a cada hora ou hora e meia. Andar a noite só em situações especialíssimas ou nunca, se possível.

AS MOTOS:
Não existe uma recomendação geral, visto que em nosso grupo existem motos de todas as cilindradas e marcas, a não ser as recomendações de praxe, tais como: calibragem dos pneus, verificação das luzes, sistema elétrico, óleo do cárter e do freio, etc, ou seja, uma pequena revisão a cada viagem. É muito importante que o motociclista conheça sua moto e tenha noções básicas de mecânica e elétrica. Temos por hábito e a título de brincadeira, perguntar a cada um se ele sabe a pressão necessária aos pneus de sua moto. Você conhecendo sua moto, saberá a capacidade de carga da mesma. É muito comum em viagens como a de Tiradentes, as esposas comprarem coisas impossíveis de serem carregadas nas motos, seja pelo peso ou tamanho.

MOTOCICLISTAS:
Falaremos de equipamentos para frio e calor, assim como para chuva.

O capacete além de resistente, tem que ser exato para sua cabeça; capacete grande pode escapar da cabeça e pequeno causará sério desconforto.
Para os dias de frio, não se esqueça de ter consigo uma “balaclava”, ou seja, um protetor para a cabeça igual aos que você vê nos pilotos de corrida. Tenha também um protetor de pescoço de lã que irá protegê-lo daquele “ventinho” na nuca. Estes equipamentos você adquire em qualquer loja de moto a preços muito atraentes.
Luvas, muito embora sejam desconfortáveis de se usar, dão uma proteção importante para os dedos e as mãos, principalmente em motos que não tem protetores para as mãos nas manoplas.
As melhores blusas e calças, ao contrário do que muitos pensam, não são as de couro e sim as especiais para moto. Hoje temos blusas e jaquetas em tecidos especiais, com proteção para as costas, ombros e cotovelos. A tecnologia existente também nos permite ter jaquetas muito resistentes e especiais para o verão. São muito bem ventiladas e nos permite uma viagem muito agradável e segura. Assim também são as calças de boa qualidade, todas com proteção para os joelhos. Um conjunto de calça e jaqueta de boa qualidade não é muito barato mas o investimento compensa pela segurança que nos oferece. Não é necessário se preocupar com o frio ou chuva quando se tem um equipamento de boa qualidade porque ele é impermeável e tem blusas internas que podem ser adicionadas às jaquetas quando necessário para chuva ou frio.
As botas de cano médio ou longo, são as ideais porque protegem o tornozelo e as pernas. Ao escolher a sua não se esqueça que a forração interna da mesma, se não for de boa qualidade te deixará “coçando” a perna por umas boas horas. Não se esqueça também de examinar o zíper e se tiver alguma dificuldade em fechá-lo por ele ser do lado de fora da bota, existem botas com o zíper do lado de dentro, o que facilita muito, visto que normalmente as calças são muito duras e desconfortáveis. Assim como a jaqueta e a calça, a bota também deve ser impermeável.


Finalizando, não se esqueça que o peso da bagagem deve ser compatível com a moto e que ele deverá ser distribuído igualmente entre as bolsas .

Um abraço e boa viagem.

NELSON DE FREITAS JUNIOR

· Rua Thessalônico Barbosa, 300
· São José do Rio Preto – SP
· CEP 15035-560

MOTO: BMW R 1100 RT

· Engenheiro Civil
· EX –
Presidente do Rotary Club São José do Rio Preto
Professor da Universidade de Uberlândia
Professor do Curso Objetivo
Diretor da Associação Comercial e Industrial de SJRio Preto
Tesoureiro do Rio Preto Automóvel Clube
Diretor do Centro Incubador de Empresas de SJRio Preto
Curador da Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto

Dicas de Direção Defensiva

Conceito:

Direção defensiva é um estilo de pilotagem veicular onde o motorista tem especial preocupação com a segurança e economia. Tal preocupação não só em relação à sua condução, mas como a de terceiros.

Um motorista que dirige defensivamente consegue prever o erro dos outros dando tempo para correções, dessa forma evita o envolvimento em acidentes e diminui consideravelmente o cometimento de infrações.

Dicas da direção defensiva:

– Antes de viajar calibre adequadamente os pneus.
– Coloque os pneus mais novos do lado onde está o motor.
– Verifique se a quilometragem da troca do óleo não vai “passar” durante a viagem. Se for o caso troque o óleo antes de pegar a estrada.
– Sempre viaje com o tanque cheio. Você nunca sabe o que vai encontrar pela frente.
– Ao entrar numa rodovia ganhe velocidade pelo acostamento de forma a já entrar “embalado” na primeira pista. Desta forma você não fechará os demais veículos.
– Para sair de uma rodovia diminua a velocidade gradativamente. Se houver desnível não faça uma manobra brusca, deslize o veículo suavemente para o lado.
– Se o pneu furar numa ponte (via sobre mar ou rio) ou viaduto (via sobre terreno) ande com o pneu furado até o outro lado.
– Jamais faça ultrapassagens em pontes ou viadutos.
– Se o veículo derrapar para a direita, manobre para a para a esquerda e vice-versa.
– Viajando à noite em rodovia de pista dupla, trafegue até 80 km/h. Essa é a velocidade proporcional à visão oferecida pelo farol.
– No início da chuva, não ligue o limpador de imediato. A sujeira irá prejudicar a visão. Espere a água da chuva retirar a poeira do para-brisa por uns instantes.
– Durante a chuva verifique pelo espelho retrovisor se os pneus de seu veículo estão deixando marcas nas pista. Se não estão, o veículo está aguaplanando (boiando sobre um véu de água), diminua a velocidade suavemente até as marcas voltarem.
– Regule os faróis. Esse é um procedimento rápido e várias oficinas e seguradoras oferecem gratuitamente.
– Segure o volante com as duas mãos, imitando os ponteiros de um relógio indicando dez minutos para as duas horas.
– Use o retrovisor para controlar suas manobras mas também use para controlar as manobras dos outros.
– Nunca ultrapasse pela direita. Se não der para ultrapassar pela esquerda desista da manobra.
– Quando for viajar repouse pelo menos meia hora antes, faça refeições leves. Comida pesada, bebida alcoólica e cigarro diminuem os reflexos.
– Sente-se dentro do veículo de forma confortável e que de a impressão de domínio do equipamento.
– Ao manejar a alavanca de câmbio ou algum acessório, suas costas não devem se afastar do encosto.
– Tenha todo o controle do veículo, leia o manual de instruções. No trânsito não dá tempo para verificar “para que serve esse botão?”.
– Faça as trocas de marcha no tempo certo. Trocar de forma antecipada faz o veículo perder velocidade, se trocar atrasado faz o veículo reduzir e dar trancos. Nas duas hipóteses há grande consumo de combustível.
– Uma curva perfeita se faz assim: antes do início da curva diminua a velocidade para a compatível com a manobra.
– Durante a curva acelere gradativamente, isso fará o veículo “assentar” na pista.
– Verifique rotineiramente as luzes de seu veículo; pisca-pisca, faróis, luz de ré e neblina (se tiver).
– Conheça a autonomia de seu veículo, verifique se o volume de combustível dá para chegar ao destino com grande margem de segurança. No caso de dúvida abasteça.
– Procure fazer algum curso de primeiro socorros. Isso pode ser útil para terceiros e para seus passageiros.
– Cuidado para suas condições psicológicas, não dirija se estiver nervoso, deprimido, revoltado, estressado, sonado etc.
– Se faz tratamento com algum remédio, verifique na bula se ele provoca sono ou diminuição de reflexos. Não dirija se for o caso.

Dirigindo prevendo os erros dos outros:

– Uma das melhores formas de evitar acidentes é prever os erros dos outros. Isso oferece tempo dos outros corrigirem o erro ou você se adaptar a eles. Faça assim:

– Numa pista de mão dupla, ao receber um farol alto, não olhe para o outro veículo. Olhe para o centro da pista, para o resto, use sua visão periférica.

– Observe os olhos do outro motorista em seus espelhos retrovisores. Um motorista que olha atentamente para um espelho lateral indica que irá fazer a manobra para esse lado.

– Veículos que se aproximam lateralmente do veículo à sua frente, dão uma forte suspeita de que irão “fechá-lo” assim que houver uma brecha. Diminua a velocidade e dê essa brecha de forma controlada.

– Quando um veículo tenta adentrar em sua pista, mas fica aquela dúvida de que vai ou não, assuma o comando da situação. Diminua a velocidade e de piscas com seu farol, de forma que o outro motorista perceba que pode entrar.

– Um veículo cambaleando levemente de um lado para outro, indica que o motorista está sonado ou bêbado. Afaste-se desse veículo.

– Nunca fique entre dois veículos mais pesados que o seu.

– Evite ficar à frente de um veículo mais pesado que o seu. Os freios de um veículo leve são mais ágeis que de que de um veículo pesado.

– Quando estiver parado e perceber que será colidido na traseira, solte o freio. Com o carro solto o impacto é amortecido.

– Quando perceber que será colidido na lateral, ofereça a parte de seu veículo que não possui passageiros.

– Quando for bater na traseira de alguém, tente colidir com as laterais traseiras, são zonas de maior segurança.

– Enfim, dirija sempre com atenção. Jamais pense que um veículo faz parte de você. O veículo é um equipamento, uma máquina que responde às leis da física e muito mais forte e pesada que um ser-humando.

O grande macete da direção defensiva é:

– Se não sabe não faça.

– Se tiver dúvidas não faça.

– E se não precisa fazer, também não faça.

Fonte: www.multacar.com